Teste Fiat Ducato Vocação Nacional

Testado na Itália, novo Fiat Ducato mostra visual renovado, versatilidade de aplicações e economia de combustível

11/06/2014 - 18:43min

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

Já se vão 33 anos desde que o Fiat Ducato surgiu no mercado automotivo mundial. Durante esse tempo, já vendeu mais de 2,6 milhões de unidades em cerca de 80 países diferentes. Conquistou a liderança do segmento de furgões em diversos mercados globais, da América Latina – incluindo o Brasil – e até a Rússia. E agora, em sua quarta geração, apresentada em maio último na Itália, traz melhorias capazes de dar mais fôlego às vendas. A primeira – e principal delas – é a economia de combustível, cerca de 10% em relação à geração anterior. Num segmento que lida com profissionais e entrega produtos idealizados para gerar lucro aos seus compradores, esse é um dos pontos que mais fazem a diferença. Mas, por enquanto, não há qualquer perspectiva de chegada do novo modelo ao mercado brasileiro. A geração anterior continua em produção na fábrica mineira de Sete Lagoas.

Além de baratear os custos, a redução de consumo da nova geração da Ducato diminui também as emissões de poluentes. E com tantos debates sobre sustentabilidade em alta, a Fiat aproveitou para estender ainda mais o marketing ambiental no novo furgão. O modelo oferece diversas soluções ecológicas, como os pneus com baixa resistência ao rolamento, óleo de baixa viscosidade e anéis de pistão de baixo atrito. São boas opções de motorização para o consumidor europeu, todas dentro dos padrões estabelecidos pelo Euro 5. A primeira é 2.0 litros de 115 cv e 28,5 kgfm de torque, com cinco marchas e indicada especialmente para uso em áreas urbanas. Como opções intermediárias, a fabricante italiana tem um 2.3 litros de 130 cv e 32,6 kgfm de torque e outra calibração do mesmo 2.3, só que com 150 cv e 35,7 kgfm. Ambos vêm com transmissão manual de seis velocidades. Para quem busca mais potência e vigor nas estradas, há o poderoso 3.0 litros de 180 cv e 40,8 kgfm de torque, também com seis marchas. Até o final do ano, já se espera uma nova opção, também 3.0 litros, a Natural Power. Já de acordo com o Euro 6, oferece 140 cv e 35,7 kgfm de torque, rodando com gás natural veicular e gasolina.

img25772

Em termos de estilo, o exterior transmite uma sensação de dinamismo, segurança, qualidade e robustez. O novo comercial leve da Fiat aceita duas cores diferentes na moldura da grade dianteira – prata ou preta. Os faróis podem ter luzes de leds e novas rodas de liga leve de 16 polegadas. Além disso, com o intuito de atrair mais consumidores preocupados com os custos de manutenção, o furgão agora tem para-choque dividido em quatro partes. Ou seja, em caso de necessidade de reparação, nem sempre é preciso substituir a peça inteira. No total, as capacidades de personalização – que envolvem desde o estilo e a estética até diferenças nos sistemas de freios e de suspensão – beiram 600 variações possíveis.

Para o interior, existem no mercado europeu três configurações distintas: Classic, Techno e Lounge. Cada uma é caracterizada por um nível diferente de sofisticação e elegância. Elementos como os estofados, números de porta-copos, entradas e ligações com smartphones e outros equipamentos e detalhes estéticos marcam algumas das principais alterações. A estratégia é usada para atrair desde o cliente que só pretende transportar carga com o veículo até quem deseja atuar nos transfers de pessoas. Tudo adaptado ao gosto – e, é claro, ao bolso – de cada comprador.

img25767

Primeiras impressões

Versatilidade em ação

Balocco / Itália – Posto em teste, o novo Fiat Ducato se mostra com uma condução bem fácil, mesmo para quem não está acostumado a veículos deste tamanho. Seja em função da posição de dirigir, com dirigibilidade é bem próxima à de um carro de passeio, ou pela visibilidade panorâmica, que transmite uma agradável sensação de segurança. Sensores alertam quando o carro sai da faixa de rolagem, o que torna muito mais tranquilo manter o Ducato sob controle. Destacam-se a direção e as trocas de marcha precisas. Aliadas à boa eficiência dos freios, elas aumentam a vontade de pisar mais fundo no acelerador – mesmo não sendo um carro com apelo esportivo. E, nessa situação, o isolamento acústico é bom, sendo possível ouvir rádio ou conversar com os outros passageiros sem qualquer problema.

De ambulância a transporte escolar, são muitas as possibilidades de utilização. E há espaço para fazer muita coisa mesmo. Com bom desempenho e dimensões propícias, é normal imaginar que o Fiat Ducato seguirá como peça importante no segmento de comerciais leves em sua nova geração. Além disso, os últimos números de vendas na Europa entre esses veículos com menos de 3,5 toneladas nos primeiros quatro meses de 2014 registraram crescimento de 16%. Ou seja, um bom sinal de recuperação depois de um período nada fácil. E uma prova de que o novo Fiat Ducato chegou ao Velho Continente na hora certa.

img25770

Ficha técnica

Fiat Ducato 2.3 150 Multijet

Motor: Diesel, dianteiro, transversal, 2.287 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, turbocompressor, intercooler e comando duplo no cabeçote. Acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto sequencial.
Transmissão: Câmbio manual ou automatizado de seis marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira.
Potência máxima: 150 cv a 3.600 rpm.
Velocidade máxima: 161 km/h.
Torque máximo: 35,7 kgfm a 1.500 rpm.
Diâmetro e curso: 88 mm X 94 mm.
Taxa de compressão: 16,2:1.
Suspensão: Dianteira do tipo MacPherson com rodas independentes, braços oscilantes inferiores à geometria triangular e barra estabilizadora, amortecedores hidráulicos, telescópicos com fixação elástica na carroceria e molas helicoidais. Traseira com eixo rígido tubular, amortecedores hidráulicos, telescópicos com fixação elástica na carroceria e mola longitudinal.
Pneus: 225/75 R16.
Freios: Discos ventilados na frente e atrás. Oferece ABS com EBD de série.
Carroceria: Furgão em monobloco com três portas e até nove lugares. Com 4,96 metros de comprimento, 2,05 m de largura, 2,25 m de altura e 3 m de distância entre-eixos. Peso: 1.950 kg com 1.515 kg de capacidade de carga.
Tanque de combustível: 90 litros.
Produção: Atessa, Itália.
Preço: A partir de 29.650 mil euros, o equivalente a R$ 91.600.

img25768

img25769

img25771

Fonte: www.motordream.uol.com.br

Tags:

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
*Os comentários dos usuários não representam a opinião da APS Distribuidora, a responsabilidade é integralmente do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Abrir chat
1
Chame no WhatsApp!
Olá 👋
Como podemos ajudar?