Vendas de veículos dão salto de 22,8% 

Emplacamentos alcançaram recorde em junho com 353,2 mil unidades

05/07/2012 - 08:29min

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
img21775

Dados preliminares do Renavam apontam que as vendas de veículos avançaram expressivos 22,8% em junho na comparação com maio. Foram emplacados 353,2 mil automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus no período. O volume é recorde para o mês e representa ainda expansão de 16% em relação ao mesmo intervalo de 2011.

Com 20 dias úteis, junho teve média diária de vendas bastante alta, de 17,6 mil unidades/dia. O volume representa evolução de 35,3% sobre a média registrada em maio deste ano. O salto no ritmo de emplacamentos foi impulsionado pelos recentes incentivos anunciados para o setor, que recebeu redução no IPI, IOF e taxas de juros.

Ayrton Fontes, consultor independente de varejo automotivo, lembra que a aceleração também é resultado do esforço das montadoras, que realizaram uma série de feirões e ações promocionais. “Os consumidores que pretendiam comprar ou trocar seu usado por um zero quilômetro aproveitaram este momento e anteciparam as compras”, explica.

Para o consultor, também chama a atenção o volume de clientes que preferiu financiar o veículo no banco em que é correntista, e não com a instituição instalada na concessionária. O porcentual de consumidores que buscaram crédito direto na agência superou 30% em junho. Esse porcentual ficou em 11% no mesmo período do ano passado.

CRÉDITO RESTRITO

As vendas no acumulado do ano somam 1,71 milhão de veículos. O número ainda fica 1,1% abaixo do registrado nos primeiros seis meses de 2011. Será necessário manter ritmo semelhante ao de junho para que 2012 apresente o crescimento projetado pela Anfavea, de 4% para 3,7 milhões de unidades.

Fontes aponta que os bancos continuam exigentes para aprovar financiamentos por conta da crescente inadimplência no setor. O índice alcançou recorde de 6,1% em maio. Como consequência dessa alta, as financeiras têm exigido 50% do valor do carro zero quilômetro de entrada e financiam o restante em, no máximo, 36 meses. O consultor aponta que é baixo o nível de aprovação de crédito com prazos longos e entradas pequenas.

Para ele, a restrição ao financiamento poderá impedir que o mercado mantenha a forte expansão registrada em junho. Nesse cenário, mesmo com tantos incentivos, o setor automotivo ainda não conseguirá atender a demanda reprimida de clientes que não conseguem dar entradas maiores e precisam de prazos mais longos para que a prestação do carro caiba no bolso.

Os números oficiais de vendas serão divulgados na terça-feira, 3, pela Fenabrave.

Fonte: AutomotiveBusiness

Tags:

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
*Os comentários dos usuários não representam a opinião da APS Distribuidora, a responsabilidade é integralmente do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Abrir chat
1
Chame no WhatsApp!
Olá 👋
Como podemos ajudar?