Carros da Hora: veja os que farão você feliz 7º Peugeot 2008 Griffe

Entre novatos e veteranos, testamos os modelos que se destacam hoje em dia 

22/09/2015 - 18:22min

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

7º Peugeot 2008 Griffe

A prova de que o EcoSport envelheceu

img27964

Se alguém lhe pedir uma resposta de bate-pronto sobre qual dos novos SUVs merece a sua grana, talvez você nem se lembre do 2008. Falta propaganda, divulgação, publicidade e, claro, carros nas ruas. Mas não tire o recém-chegado da sua lista. Além da versão THP manual, que faturou o comparativo na Car and Driver 88 e vai fazer muita gente ter palpitações a cada acelerada, o 2008 vem com pacote honesto na configuração Griffe: custa R$ 74.990 com motor 1.6 FlexStart de 122 cv e se livra do pecado de não contar com câmbio automático.

No momento em que você olha o que têm à sua volta, já começa a perceber porque ele faz o Ford EcoSport andar para trás na linha do tempo. Desde a posição de dirigir, diferente de tudo já visto antes (desde que nunca tenha dirigido um 208), passando pelo painel, sem aquele mar de botões. Uma central multimídia com tela de 7” agrega as funções de computador de bordo, GPS e conecta o celular com o link My Peugeot, uma maneira prática de ter informações do carro como autonomia, consumo instantâneo e aviso de revisões na tela do seu celular. O ar-condicionado digital dual zone e o teto panorâmico também são de série no Griffe.

img27965

MOEDORES DE PIMENTA

Mas esqueça um pouco dos equipamentos e do preço. Se isso fosse decisivo, os chineses seriam líderes de mercado. É importante entender que ele venceu o EcoSport por se apresentar melhor em aspectos nos quais o Ford não era uma barbada. Por dentro, o espaço não é o de um salão presidencial, mas suporta três adultos sem amputá-los. São 15 cm de espaço para os joelhos com os bancos posicionados para um motorista de 1,90 m, 4 cm a mais que o EcoSport. A altura do assento até o teto é de 93 cm, no Ford é de 91 cm. Pode parecer pouco na teoria, mas na prática não é – pergunte para qualquer homem a diferença que 2 cm a mais podem fazer. Outra parte boa é a ausência de estepe na traseira. Você pode abrir a quinta porta sem ter medo de ser atropelado pela roda caso estacione em uma subida.

Outro item que mostra o cuidado da Peugeot e o investimento sincero no carro está nos detalhes. Um exemplo é que nenhum dos SUVs concorrentes traz as aletas para trocas de marchas no volante, algo como chocolate: quem prova uma vez sempre quer ter um por perto. Já os leds nos faróis são exclusividade dele entre os oito competidores, isso sem falar dos seis airbags de série.

img27966

Para surpresa geral, ele também encara curvas com astúcia de hatch compacto, comprovando a nossa teoria sobre o 2008 ser mais uma perua que um SUV. Salvo uma ou outra pancada mais seca, característica da marca até nos moedores de pimenta que produz, sua dinâmica enche de confiança qualquer motorista.

A carroceria rola pouco e o volante pequeno deixa o 2008 na mão como uma pipa. Tudo bem que a junção do 1.6 de 122 cv com o obsoleto câmbio de quatro marchas não se traduz em emoção ao volante, mas mesmo assim ele ficou à frente de outro rival direto no caudaloso mercado de SUVs. Levou 12,5 s na aceleração de 0 a 100 km/h contra 13,5 s do Renegade. O Peugeot ainda retomou mais rápido do que o EcoSport, de motor 2.0 de 147 cv e câmbio Powershift de seis marchas. Não fosse a relação curta de segunda marcha, e muito longa na terceira, ele se sairia ainda melhor.

img27968

Fonte: caranddriverbrasil

Tags:

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
*Os comentários dos usuários não representam a opinião da APS Distribuidora, a responsabilidade é integralmente do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Abrir chat
1
Chame no WhatsApp!
Olá 👋
Como podemos ajudar?